A Escola
Equipe
Mural de Mensagem
Notícias
Matrículas 2017
Fique por dentro
Calendário
Palavra do Educador
Agenda Diária
Links Úteis
Fale Conosco
 
 
 
 
A importânica de se colocar limites 

 

A importância de se colocar limites, inclusive nas questões escolares

         Vivemos num mundo de relações superficiais, não no sentido da autenticidade, mas no sentido do tempo. Não temos tempo para mais nada, apesar de fazermos tantas coisas num período curtíssimo de tempo. O grande problema então, pelo excesso de funções e atividades, é que muitas vezes desenvolvemos a quantidade, mas não a qualidade.
        Com essa correria, essa falta de tempo, esse excesso de atividades, normalmente agimos impulsivamente, ou até de forma hiperativa, não tendo um olhar especial, voltado para alguém que necessita dele para um crescimento e desenvolvimento saudável.
         Muitos pais acabam não sabendo a hora de dizer sim e a hora de dizer não. A criança necessita do sim e do não. E dizer não ao seu filho não e ser autoritário, nem mesmo negar amor. Significa apenas ensiná-lo que nem sempre se pode fazer tudo o que se deseja na vida.
         Isso faz com que a criança interiorize a idéia de que poderá fazer muitas coisas, a maioria das coisas que deseja, mas nem tudo e nem sempre.
         A importância em se colocar limites deve ser também trabalhada em relação às questões escolares. O bom ou mau desempenho do aluno vem da internalização dos limites colocados pelos pais desde os primeiros anos de vida.
         Toda criança precisa ter um sentido de organização, havendo um envolvimento pragmático e útil com o estudo, envolvimento este que compartilhe com responsabilidade, concentração e compromisso.
         No começo, os pais devem ajudar os filhos a criarem o costume de estudar, aprendendo gostar desse momento, tornando-o como responsabilidade própria.
         A produção deve ser exercitada, estimulada, mas também cobrada para que o aluno entenda a importância dos estudos, transformando-os em um hábito diário.
         Para que haja resultados neste hábito, deve-se considerar e fazer parte da disciplina dos estudos alguns pontos, que descrevo a seguir:
         LOCAL: deve ser uma mesa ou uma escrivaninha, onde a criança ou adolescente estude sentado com espaço suficiente para todo o material necessário. No momento do estudo, o aluno não deve realizar nenhuma tarefa conjunta, nem mesmo aquele pacotinho de bolacha deve estar presente. Até que pegue o hábito, alguém deve acompanha-lo para não se perder, porém nunca alguém deve fazer a tarefa para ele.
         HORÁRIO: é de suma importância que a criança tenha um horário fixo de estudo com o qual ela crie um compromisso. O restante do tempo que sobrar na sua agenda poderá ser ocupado por atividades complementares, como esportes, estudo de línguas estrangeiras, e principalmente, brincar. Mas atenção, pais: as atividades complementares não podem ser as escolares, ok?!
         TEMPO: o tempo necessário para um bom aproveitamento não precisa ser muito longo. Muitas horas em cima de livros e cadernos numa mesma posição, gera cansaço e portanto, se torna um reforço negativo. Os pais juntamente com a criança ou adolescente devem estabelecer o tempo suficiente de estudo e um horário que a criança rende melhor até pelo seu ritmo biológico.
         Recomenda-se apenas que os estudos não sejam feitos à noite, pois a criança está cansada, seu ritmo é mais lento e deve haver um horário para dormir (faz parte dos limites), considerando a necessidade biológica de cada um para o descanso. Existem crianças que precisam de 11 a 12 horas de sono para o descanso total.
         MÉTODO: se os pais têm vários filhos é importante que estudem todos juntos, pois o fato de um estar estudando e outro brincando ou assistindo TV, fará com que a concentração e a atenção do que estiver estudando diminua, ou mesmo acabe, pois brincar é mais interessante do que estudar.
         Para Içami Tiba, autor de diversas obras sobre crianças e adolescentes, "...mesmo que não tenha lição de casa para fazer, a criança deve repassar as matérias dadas naquele dia. Mas não basta ler com os olhos, precisa ler em voz alta, fazer resumos. E cabe aos pais conferir a lição e checar esses resumos todos os dias."
         Se os pais não têm métodos e não colocam limites e regras, os filhos não cumprirão com suas obrigações, afinal eles pensarão: "quem está preocupado comigo?”. Por isso, é tão dito que colocar limites é uma forma de amor...
         ...e muito sucesso na educação de seus filhos!!!


Artigo escrito por Dra. Sandra Carlos Pereira
Psicóloga Clínica e Escolar e Psicopedagoga

 

27/05/2014  
 

Estilos de aprendizagem: visual, auditivo e sinestésico
15/09/2014
Relação Família e Escola em harmonia
19/08/2014
A importânica de se colocar limites
27/05/2014
Bullying
18/09/2013
Como proteger os jovens nos espaços virtuais???
11/09/2013
Como você se publica?
22/03/2013
Adiado o uso das novas regras do Acordo Ortográfico
25/01/2013
Final de Ano - reprovar é o fim do mundo?
26/11/2012
Dia Nacional da Consciência Negra
20/11/2012
Pequenos estressados
02/10/2012
 
 
 
 
 
 
 
 
     
     
Rua Francisco de Sousa Lobo, nº 01 - Centro CEP. 75.200-000
Pires do Rio - Goiás - Telefone:(64) 3461-1994