A Escola
Equipe
Mural de Mensagem
Notícias
Matrículas 2017
Fique por dentro
Calendário
Palavra do Educador
Agenda Diária
Links Úteis
Fale Conosco
 
 
 
 
Relação Família e Escola em harmonia 


 

Educar: Responsabilidade de todos

 

A mãe chega apressada na escola carregando uma criança, de pijama, no colo. "O uniforme dela está na mala. Veja se você consegue colocar, pois eu não consegui", pede, nervosa, à professora. Situações assim não são raras hoje em dia e fazem parte da confusão de papéis que se estabeleceu entre escola e família, com pais e educadores protagonizando um jogo de empurra de responsabilidades, no qual quem perde são as crianças e os adolescentes em pleno processo de formação.

No centro dos problemas, estão questões que sempre integraram o cardápio da educação que se costumava receber em casa, como a formação de hábitos alimentares e de higiene, as normas básicas de convívio, o uso de drogas e álcool, a rotina de estudo.

A dinâmica da vida moderna, a falta de tempo para conviver com os filhos, o aumento do número de divórcios e a velocidade das transformações são alguns dos motivos que têm dificultado para as famílias a tarefa de oferecer aquela que antigamente se chamava "educação de berço". As instituições de ensino, por sua vez, nas últimas décadas, tornaram-se voluntariamente um ponto de apoio na logística familiar.

Essas são mudanças fundamentais em relação a um passado recente, quando se esperava do colégio apenas que garantisse aos alunos os conhecimentos acumulados pela civilização, enquanto aos pais cabia a responsabilidade pela transmissão de valores, pelo desenvolvimento da noção de certo e errado e pela formação dos comportamentos e hábitos socialmente desejados. "A consequência do modelo atual foi uma perda dos limites de ação de cada um", analisa Claudia Siqueira. Estabelecida a distorção, o desafio agora é demarcar os novos limites da relação família-escola. A palavra mais utilizada para definir esse encontro de papéis é parceria. E vem daí a confusão. "Quando se trata de formação de valores, a escola é uma instituição secundária. A tensão ocorre quando os pais esperam das escolas que assumam ritos que não são de responsabilidade delas", alerta a pedagoga Débora Vaz.

Para ela, a relação entre os dois lados dessa moeda tem que ser de complementaridade. "Não se deve esperar que escolas e pais falem a mesma língua, mas ambos têm de promover condições para que as crianças aprendam, tornem-se autônomas e consigam agir sobre o mundo", considera.

Tarefas como a retirada de fraldas, por exemplo, não podem ser transferidas para a escola, pois envolvem sentimentos de segurança e independência, que estão associados à vida em família - mas isso não descarta a contribuição escolar. O mesmo se aplica a outras atitudes desejáveis, como comer de boca fechada, escovar os dentes, aguardar a vez da falar. Por outro lado, é irreal acreditar que todas as famílias conseguirão acompanhar as lições de casa dos filhos. "A escola precisa enfrentar a questão de que nem sempre a criança contará com a presença de um adulto na hora do estudo e se adaptar a essa realidade", diz Débora.

Em toda essa discussão, há duas palavras-chave: tempo e interesse. Cabe aos pais um esforço para administrar a agenda reservando ocasiões para se dedicar à educação dos pequenos.

Não é só uma questão de quantidade de horas, mas de querer investir na qualidade dos momentos em família. Mesmo com tempo livre, algumas famílias, em vez de reforçar a convivência com os filhos, transferem os cuidados para outros, procurando hotéis e restaurantes que disponham de serviços de monitoria para manter as crianças sempre ocupadas.

Abrir mão de um dia de trabalho é privilégio para poucos, mas participar das reuniões escolares, reservar momentos da noite para conversar com as crianças, olhar cadernos e dedicar parte do fim de semana a programas em família são modos acessíveis de retomar as rédeas da formação da prole.

Outra atitude familiar que ajuda a arrumar a casa, na visão dos especialistas, é escolher bem a escola, pois deve haver uma identidade entre os valores da família e a proposta pedagógica da instituição que você escolheu, fazendo com que família e escola cada vez mais usem a mesma linguagem na educação de nossas crianças e adolescentes.

 

Texto adaptado da matéria Família x Escola do site www.educarparacrescer.com.br
 

 

19/08/2014  
 

Estilos de aprendizagem: visual, auditivo e sinestésico
15/09/2014
Relação Família e Escola em harmonia
19/08/2014
A importânica de se colocar limites
27/05/2014
Bullying
18/09/2013
Como proteger os jovens nos espaços virtuais???
11/09/2013
Como você se publica?
22/03/2013
Adiado o uso das novas regras do Acordo Ortográfico
25/01/2013
Final de Ano - reprovar é o fim do mundo?
26/11/2012
Dia Nacional da Consciência Negra
20/11/2012
Pequenos estressados
02/10/2012
 
 
 
 
 
 
 
 
     
     
Rua Francisco de Sousa Lobo, nº 01 - Centro CEP. 75.200-000
Pires do Rio - Goiás - Telefone:(64) 3461-1994