A Escola
Equipe
Mural de Mensagem
Notícias
Matrículas 2018
Fique por dentro
Calendário
Palavra do Educador
Agenda Diária
Links Úteis
Fale Conosco
 
 
 
 
A adolescência está mais complexa 

       

                              

 

por Rosely Sayão

 

Estou sempre em contato com pais, avós e educadores formais e recebo deles, pessoalmente ou pela internet, muitas questões, dúvidas e angústias que eles vivem em relação aos filhos, netos e alunos. Nos últimos dias, o tema que predominou foram os adolescentes. Vamos, então, refletir sobre essa fase do desenvolvimento.

Há até pouco tempo, sabíamos com clareza conceituar a adolescência: um período de transformações pessoais, sociais, emocionais, psicológicas e, principalmente, de concepção a respeito de si mesmo e da vida, que resultava em mudanças de comportamento. A puberdade –as alterações físicas dessa etapa– antecedia a adolescência e a precipitava.

E agora? Primeiramente, essa etapa da vida foi prolongada: não termina mais perto dos 20 anos, com a entrada na maturidade adulta. Hoje, podemos considerar a adolescência até mais ou menos os 25 anos, e olhe lá! Seu início também foi antecipado: não depende mais da puberdade, pois pode se iniciar bem antes.

Outra questão importante foi a mudança na busca da privacidade do adolescente. Quem não se lembra dos melhores amigos dessa época da vida, ou dos diários, escritos –e escondidos– com dedicação? Pois esses foram recursos que os adolescentes já usaram para construir sua privacidade em relação à família.

Hoje, a situação ficou complexa: com a internet, os diários –com fotos e tudo o mais– passaram a ser expostos publicamente, não mais compartilhados apenas com a(o) melhor amiga(o) ou escondidos. E os pais? Ah! Eles fazem de tudo para que os filhos contem a eles todos os detalhes da sua vida.

Essas mudanças significam mais trabalho para os pais e mais dificuldades para os adolescentes. Hoje, os pais querem controlar os filhos, querem desejar por eles, querem dar a eles felicidade, etc. Dureza, porque tudo isso resulta em imaturidade, fragilidade, baixa resiliência.

Os adolescentes precisam de tutela mais discreta, que não se transforme em abandono; de espaço de experimentação para descobrir como querem e como podem ser, sem que sejam julgados ou penalizados por isso. E o melhor espaço que eles teriam para tanto seria a escola. Como ela não tem permitido isso aos seus alunos adolescentes –qualquer coisa que eles façam, a escola corre para contar aos pais–, é claro que eles procuram outros espaços para isso, como o virtual, as festas e baladas etc., o que é muito mais perigoso, porque lá eles não têm nem tutela, nem apoio.

Os adolescentes precisam muito de nossa companhia, de nosso apoio crítico, de nossa compreensão, de nossa amorosidade adulta, de nosso desapego em relação a eles, de nosso acolhimento.

Eles querem conflitar com os pais e professores? Vamos bancar esses conflitos com seriedade e argumentação, sem espanto. Poucos adolescentes defendem a pena de morte, por exemplo, por convicção. É, na maioria das vezes, por oposição. Nem por isso devemos tratar as questões que eles trazem como bobagens.

Eles ultrapassam todos os limites possíveis? Vamos repactuar a relação com eles, verificar como demos oportunidade para que tenham feito o que fizeram. Sempre há essa possibilidade! Mas vamos, principalmente, entender essa crise como um pedido de socorro, que eles têm tanta dificuldade em simbolizar.

Essa é a companhia que eles precisam, e que podemos oferecer!

 

 

 

 

 

* Fonte: texto disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/colunas/roselysayao/2016/06/1781347-a-adolescencia-esta-mais-complexa.shtml?loggedpaywall> Acesso em 19 mai 2018.

**Rosely Sayão psicóloga e consultora educacional, tem mais de 30 anos de experiência em clínica, supervisão e docência; presta consultoria em empresas e escolas, dissertando sobre cidadania e sobre educação de crianças e de adolescentes.

 

23/05/2018  
 

A adolescência está mais complexa
23/05/2018
Por que aplicar castigos físicos em crianças é um erro?
08/05/2018
Como ser amigo de seu filho
24/04/2018
Leia para seu filho
05/04/2018
5 ideias para manter as crianças longe das telas
04/04/2018
Em vez de criar filhos perfeitos, eduque crianças felizes
27/03/2018
Como motivar seus filhos a fazerem a lição de casa
13/03/2018
A importância da parceria família e escola
07/03/2018
Meu filho quer um celular. E agora?
28/02/2018
Como montar uma lancheira saudável (e possível!)
28/02/2018
 
 
 
 
Junho 2018
 
23/06/2018
FESTA JUNINA
05/06/2018
Dia Mundial do Meio Ambiente
 
 
 
 
     
     
Rua Francisco de Sousa Lobo, nº 01 - Centro CEP. 75.200-000
Pires do Rio - Goiás - Telefone:(64) 3461-1994